WhatsApp Twuitter

Quinta, 21 de junho de 2018, 00h00

Hashtag chateado


Presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), que chegou atrasado à solenidade de entrega de 250 títulos de imóveis em Várzea Grande, parece ter ficado “#chateado” por chegar ao evento e encontrar o governador Pedro Taques (PSDB) acompanhado de, pelo menos, outros seis deputados estaduais.
É que minutos antes, o democrata teve que encerrar a sessão da Assembleia Legislativa por falta de quórum, já que boa parte dos parlamentares estava no evento e não no plenário.

E o ponto?


Eduardo Botelho, que tem reduto eleitoral em Várzea Grande, brincou no discurso que os deputados que chegaram antes dele estavam lá querendo “pegar” seus votos e, também em tom descontraído, ameaçou cortar o ponto daqueles que faltaram à sessão matutina desta quarta-feira (20).
Ao presidente da Assembleia, esta coluna faz uma lembrança: o projeto para isso (cortar o ponto dos deputados que faltam às sessões) já está pronto, esperando para ser votado, desde 2015. Basta colocar em pauta.

Ajudinha


O governador Pedro Taques se reúne nesta quinta-feira (21), em Brasília, com o pré-candidato a presidente da República Geraldo Alckmin. Buchichos de corredor dão conta de que uma pauta da conversa será a contratação do tal marqueteiro de renome que Taques quer como consultor para sua campanha à reeleição. Será que vem uma ajuda do PSDB para pagar pelo profissional?

Na bagagem...


O ministro Blairo Maggi (PP) está de viagem marcada para a África, onde cumprirá uma agenda do Ministério da Agricultura ainda nesta semana. Até aí, nada de novo. O assunto tem chamado a atenção e alguns pelo que o progressista estaria pensando em trazer de lá: um pedido de demissão.

...insatisfação


O rumor é de que Blairo Maggi tem sido pressionado pelo setor produtivo, que não estaria nada satisfeito com as medidas que o governo Michel Temer (MDB) vem adotando depois da greve dos caminhoneiros. A avaliação seria de que o Executivo está cedendo demais às reivindicações.

Faísca


Neste mesmo evento não faltaram faíscas entre o governador Pedro Taques (PSDB) e o ex-senador Jayme Campos (DEM). A relação, que já foi mais profícua, está passando por um momento de turbulência, principalmente depois que o DEM lançou Mauro Mendes ao governo do Estado, afinal, o governador nunca escondeu que contava com o apoio de Jayme e de Eduardo Botelho no seu palanque à reeleição.

Um lapso...


Apesar da troca de “cutucões”, tanto Taques quanto Jayme reforçaram a parceria do governo do Estado com a Prefeitura de Várzea Grande. Tudo em prol da população.
O problema, mesmo, é que o tucano parece esquecer que, não só Jayme, mas Júlio Campos - que já virou um desafeto declarado - foram governadores de Mato Grosso, sendo assim, todas as críticas que faz, esbarram nos irmãos democratas.

...de memória


Em seu discurso no evento, Taques lembrou que os proprietários de imóveis da antiga Cohab que estavam recebendo os títulos de propriedade passaram 30 anos esperando o documento de suas casas, ou seja, colocou no balaio das críticas todos os ex-governadores, desde a divisão de Mato Grosso, em 1978.
 



// leia também

Sábado, 21 de julho de 2018

00:00 - Limites

Sexta, 20 de julho de 2018

00:00 - Um trabalhão!

Quinta, 19 de julho de 2018

00:00 - Enquanto isso...

Quarta, 18 de julho de 2018

00:00 - Inconveniência

Terça, 17 de julho de 2018

00:00 - Aliança

Segunda, 16 de julho de 2018

00:00 - Opinião em comum

Domingo, 15 de julho de 2018

00:00 - Opções

Sábado, 14 de julho de 2018

00:00 - Problemas

Sexta, 13 de julho de 2018

00:00 - Linha dura

Quinta, 12 de julho de 2018

00:00 - Ladeira abaixo