WhatsApp Twuitter

Quinta, 28 de junho de 2018, 00h00

Pé quente da vez


E por falar em pé quente, desta vez, o único a acertar o palpite do placar do jogo da seleção brasileira - agora classificada para as oitavas de final da Copa da Rússia - dado a reportagem de A Gazeta foi o procurador Mauro (PSOL), que ainda ensaia se vai mesmo lançar candidatura ao governo do Estado neste ano.

Otimismo

Para o jogo entre Brasil e Sérvia, a edição desta quarta-feira (27) trouxe os palpites de alguns dos pré-candidatos ao governo do Estado e ao Senado. Muitos se mostraram bem mais otimista do que o resultado final, que já foi positivo, apostando em 3 a 1 para a seleção brasileira. Dos 11 que toparam participar da brincadeira, cinco deram essa resposta.

O último dos aliados

Último democrata que ainda resistia em apoiar o governo Pedro Taques (PSDB), o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, começou a dar sinais de que vai abandonar a trincheira tucana.
Segundo quem acompanha a pré-campanha de Mauro Mendes e Jayme Campos, o deputado é um dos mais empolgados e envolvidos com o projeto. Tanto que, em passagem recente por Diamantino não conseguiu segurar a onda e acabou fazendo um discurso que soou como crítica à gestão de Taques.

Presente, ‘pero no mucho’

E enquanto Renivaldo Nascimento falta às sessões da Câmara de Cuiabá porque está na Rússia, acompanhando a Copa do Mundo, o deputado federal Victório Galli (PSL) até compareceu à reunião da Comissão dos Agrotóxicos, instalada na Câmara Federal, mas, segundo o revelado por reportagem do jornal O Globo, estava tão ausente quanto o tucano. Durante o debate da última segunda-feira (25), quando foi aprovado parecer que flexibiliza a venda de agrotóxicos no país, o parlamentar mato-grossense estava assistindo, pelo celular, a partida entre as seleções de Portugal e Irã.

Esclarecendo 1

Pelas redes sociais, publicando fotos, em grupos de WhatsApp, o vereador por Cuiabá Renivaldo Nascimento (PSDB) se pronunciou sobre sua viagem à Rússia nesta semana. Confirmou que, de fato, foi ao país da Copa do Mundo para acompanhar o jogo entre o Brasil e a Sérvia - aliás, mostrou que é pé quente, já que a partida terminou em 2 a 0 - e destacou que pagou tudo com o próprio dinheiro, já que se tratava, segundo suas palavras a sites de notícias da Capital, de um compromisso particular.

Esclarecendo 2

Pois bem, a reportagem de A Gazeta que revelou a ida do vereador tucano ao país da Copa do Mundo em nenhum momento afirmou que a viagem teria sido bancada com dinheiro público. O que foi destacado é que, para justificar sua ausência na sessão plenária da última terça-feira (26) - o que poderia lhe render um desconto salarial de mais de R$ 1,8 mil - Renivaldo protocolou documento afirmando estar ‘a serviço do mandato‘, o que, segundo ele próprio em um grupo de WhatsApp, soa como uma piada.

Esclarecendo 3

A verdade é que, depois da repercussão da reportagem, o vereador passou a afirmar que ‘em nenhum momento disse que iria fazer qualquer trabalho oficial‘. O documento ao qual A Gazeta teve acesso, no entanto, cita o artigo 110, parágrafo 2º, inciso II do Regimento Interno da Câmara de Cuiabá, que trata das justificativas de faltas em sessões. E o texto do Regimento é claro, fala em falta ‘a serviço do mandato‘. Quem assina o documento é a chefe de gabinete, Adelina Vilalva de Magalhães. Ele foi recebido na terça-feira (26), às 8 horas e 47 minutos, no gabinete do secretário de Apoio Legislativo, Eronides Dias da Luz. (Veja mais na página 10A)
 



// leia também

Sábado, 21 de julho de 2018

00:00 - Limites

Sexta, 20 de julho de 2018

00:00 - Um trabalhão!

Quinta, 19 de julho de 2018

00:00 - Enquanto isso...

Quarta, 18 de julho de 2018

00:00 - Inconveniência

Terça, 17 de julho de 2018

00:00 - Aliança

Segunda, 16 de julho de 2018

00:00 - Opinião em comum

Domingo, 15 de julho de 2018

00:00 - Opções

Sábado, 14 de julho de 2018

00:00 - Problemas

Sexta, 13 de julho de 2018

00:00 - Linha dura

Quinta, 12 de julho de 2018

00:00 - Ladeira abaixo