WhatsApp Twuitter

Segunda, 12 de março de 2018, 09h20

Setor operacional dos Correios entra em greve nesta 2ª

Keka Werneck, repórter do GD


Atualizada às 10h14 - Setor operacional dos Correios, que em Mato Grosso movimenta por dia 400 mil correspondências e 20 mil pacotes, parou por tempo indeterminado nesta segunda-feira (12) no país e também no Estado.

Já as agências da capital e interior, que funcionam das 9h às 17h, abriram normalmente.

A greve é para cobrar a manutenção dos pais como dependentes no plano de saúde dos funcionários, e a contratação de pelo menos 300 carteiros, porque, com o atual efetivo, o prazo contratual de entrega é de 3 dias mas tem se estendido para 10, de acordo com os grevistas.


Uma das reivindicações é a contratação de pelo menos 300 carteiros para não atrasar encomendas

"Não tem como evitar o atraso, porque somos poucos para entregar volume grande", reclama diretor jurídico do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Mato Grosso, Alexandre Aragão.

Outra reclamação dos grevistas é quanto às férias de funcionários que foram suspensas por medida de economia.

O sindicalista Aragão informa que, quanto à questão do plano de saúde, a ação ajuizada pelos Correios, para retirada dos pais como dependentes, pode entrar na pauta nesta segunda, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Segundo ele, os Correios movimentam muito hoje contas a pagar e compras pela internet. Se a greve se estender, a tendência é que isso fique parado.

Grevistas estão passando nos setores, na capital, e se reúnem por volta das 10h, na praça da República, em frente à agência central.

No interior, a movimentação tem sido em frente às agências.

A assembleia que deliberou pela greve foi realizada em Mato Grosso dia 1 de março, com indicativo de paralisação para hoje.

Manifestação dos Correios foi divulgada por volta das 10h. A empresa alega que uma greve neste momento de crise só agrava ainda mais a situação, que já é "delicada".

Confira a íntegra da nota.

"A greve é um direito do trabalhador. No entanto, um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passam os Correios e afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados. Esclarecemos à sociedade que o plano de saúde, principal pauta da paralisação anunciada para a próxima segunda-feira (12) pelos trabalhadores, foi discutido exaustivamente com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quanto em mediação pelo Tribunal Superior do Trabalho e que, após diversas tentativas sem sucesso, a forma de custeio do plano de saúde dos Correios segue, agora, para julgamento pelo TST. A empresa aguarda uma decisão conclusiva por parte daquele tribunal para tomar as medidas necessárias, mas ressalta que já não consegue sustentar as condições do plano, concedidas no auge do monopólio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos."



// matérias relacionadas

Quarta, 30 de maio de 2018

17:00 - 25 plataformas aderiram à greve dos petroleiros, diz Sindipetro-NF

Sábado, 05 de maio de 2018

11:05 - Juiz determina reintegração de posse da UFMT

Sexta, 16 de março de 2018

11:28 - Papiloscopistas param dia 26 e ameaçam por aumento do efetivo

Quarta, 22 de novembro de 2017

12:10 - Vigilantes da Arena Pantanal estão há 4 meses sem salário

Terça, 14 de novembro de 2017

10:32 - Professores da Unemat entram em greve em 14 cidades

Quarta, 25 de outubro de 2017

12:55 - Após reunião com governo, agentes penitenciários suspendem greve

Segunda, 23 de outubro de 2017

08:17 - Sem visita e escolta, mulheres de presos protestam e agentes mantêm 'greve'

Sábado, 21 de outubro de 2017

22:50 - Desembargador declara greve de agentes penitenciários ilegal

11:21 - Servidores do sistema penitenciário iniciam greve em todas as unidades de MT

Sexta, 20 de outubro de 2017

12:28 - Agentes prisionais voltam a ameaçar com greve


// leia também

Quarta, 20 de junho de 2018

18:42 - Obras de asfalto e saúde em VG consomem R$ 40 milhões e são fiscalizadas

14:28 - Assembleia autoriza governo a fazer concessão da Salgadeira

13:00 - MP realiza estudo antropológico para definir o destino de bebê indígena

09:50 - Sine oferta mais de 1,5 mil vagas de emprego em Mato Grosso

07:30 - Família de esteticista diz que laudo deu respaldo para punir envolvidos

Terça, 19 de junho de 2018

18:17 - Governo do Estado rompe contrato com empresa responsável por obras de aeroporto

16:15 - Prefeitura de Cuiabá abre seletivo com 4 mil vagas e salários de até R$ 3,2 mil

14:35 - Bebê indígena continua internada em UTI em estado grave

13:35 - Homem morre após perder controle de moto e cair em estrada vicinal

12:15 - Alunos e professores da UFMT decidem retomar as aulas dia 25